INÍCIO COMISSÃO ORGANIZADORA Español
VI Encontro Americano de Psicanálise da Orientação Lacaniana
22 e 23 de novembro de 2013Hotel Panamericano
Falar com o corpo. A crise das normas e a agitação do real

Textos

A fibromialgia, uma dor "muda"
Marta Goldenberg *

Marta GoldenbergO conceito de fibromialgia significa "dor da fibra muscular", os primeiros estudos datam do ano 1843, e ela foi entendida como inflamação muscular e reumatismo psicogênico.

Podemos dizer que se trata de uma dor corporal de difícil localização, na qual os pacientes demandam, do médico que lhes trata, uma resposta satisfatória na direção de encontrar alívio para esta dor com característica de ser difusa e crônica.

A pergunta que insiste é como tratar isso que se manifesta como "me dói todo o corpo".

A medicina busca a etiologia, tentando encontrar algum indicador objetivo da enfermidade: "músculo afetado, déficit, ou alguma alteração neuroendócrina".

Os pacientes, ao darem seu testemunho, se tornam "pouco crédulos", já que se apresentam como sujeitos queixosos, demandantes, buscando algum fármaco milagroso e, em seguida, obtêm resultados pouco claros e desconcertantes do circuito médico.

A partir da psicanálise de orientação lacaniana podemos adiantar que fibromialgia é o nome de um sofrimento relativamente moderno, é um significante além do brilho que dá ao profissional que a trata por haver localizado a droga milagrosa. É a tentativa de localizar uma palavra exata para nomear algo. De acordo com Jacques Lacan, trata-se desse saber que se encontra disjunto, que localizamos no inconsciente, um saber que é estranho à ciência. Se ele realmente se impõe é porque não diz bobagens, por mais bobo que seja; responde ao discurso do inconsciente e a ciência deve aceitá-lo como um fato.

Lacan nos adverte para não nos deixarmos apanhar na tentativa de unificação do discurso da ciência com o inconsciente.

A orientação em direção ao sinthome coloca ênfase em: "isso goza onde o isso não fala, isso goza onde o isso não produz sentido".

A fibromialgia, então, é uma via para ler o sintoma que, como mal-estar subjetivo, encarna-se no corpo de um falasser.


Tradução: Ilka Franco Ferrari

* Coordenadora do Programa: Temas de Fronteira entre a Psicanálise e a Medicina, CIEC.

Referencia bibliográfica

  • Lacan, J., O Seminário, Livro 11, Os quatro conceitos fundamentais da psicanálise, Jorge Zahar Editor LTDA, Rio de Janeiro, 1988.
  • Miller, J.-A., Sutilezas Analíticas, aula VI, Paidós, Bs. As., 2011, p. 97.
  • Miller, J.- A., "Algunas reflexiones sobre el fenómeno psicosomático", Matemas II, Manantial, Bs. As., 1988, p. 173.